sábado, 21 de julho de 2007

Investimento em ações X Investimentos em poupança

Anteriormente, a melhor forma de ter uma vida tranqüila na aposentadoria era investindo em imóveis e guardando dinheiro na poupança. Com esses investimentos tinha-se a possibilidade de viajar, curtir os netos sossegadamente, reunir os amigos no fim de semana para relembrar os velhos tempos. Porém, hoje tudo mudou. Esses investimentos dão lugar para a compra de ações que rende mais e pode proporcionar essa vida almejada na aposentadoria.

A recente desvalorização da poupança se dá para o pequeno rendimento que esse investimento proporciona. 6% ao ano mais a Taxa Referencial. Somando-se pode chegar a escala de 6% a 6,7%. Na compra de uma ação o dinheiro investido pode chegar a até o triplo do dinheiro que foi investido. Esta situação é totalmente convidativa. Cria a expectativa de se ter um bom retorno nos investimentos realizados. Mas, é preciso ter dinheiro circulante (ou capital de giro) para se investir no mercado de ações. Surge a explicação para se ter diminuído o investimento em imóveis, pensando-se em garantir uma aposentadoria tranqüila sustentada pela a Previdência e pelo alugueis dos imóveis.

Entretanto, o mercado de ações tem como principal característica à volatilidade. Em determinado momento uma ação pode ser lucrativa e ao passar os segundos, não valer nada. O ganho e perda do mercado de ações estão relacionados ao risco. É por isso que a poupança tem baixo rendimento. Também é preciso de tempo disponível para acompanhar o mercado, o que para muitos é difícil de despender. Daí, para uma aposentadoria vivida sossegadamente, precisa-se por na balança os ganhos e perdas (financeiros e psicológicos) que as possibilidades de investimentos podem proporcionar.

Um comentário:

Mauro disse...

Para investir no mercado de ações além de tempo você deve conhecer o funcionamento.